AMPARO LEGAL

Amparo legal para este blog: Constituição Federal
Art. 1º. A República Federativa do Brasil, foramada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos:
...
Art. 5º. Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
...
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;
...
VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política...;
...
IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independente de censura ou licença;
Art. 220 - A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo nao sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição.
§ 2º. - é vetada toda e qualquer censura de natureza política ideológica e artística.
Sem espaço no mídia para divulgar os trabalhos realizados pelas Guardas Municipais do Brasil, este blog é mais uma ferramenta aliada para ampliar as ações cotidianas desta força policial que atua na segurança pública municipal.
GUARDA MUNICIPAL, órgão do poder público, legalmente investido no cargo, capacitados e treinados para cumprir as missões que lhes competem, com atribuição policial, fiscaliza, vigia, guarda, com sua presença (fardada) de caráter preventivo promove ações de segurança pública municipal, investido do poder de polícia da administração pública.

GUARDA MUNICIPAL, JUNTOS SOMOS MAIS QUE VENCEDORES!
GUARDA CIDADÃ - DESDE 1985 -PROTEGE, ORIENTA E AUXILIA -
ATENDE PELO TELEFONE (15) 3262.3244, 3262.1118 e 199 (Defesa Civil) 24 HORAS
Endereço para correspondência: Praça Duque de Caxias, 32 Centro - Cep: 18540000
e-mail: guarda.subinspetor@portofeliz.sp.gov.br
MEU CONTATO É: yvetegon@hotmail.com

Telefones de emergência
100- Violação dos Direitos da Criança e do Adolescente (Nacional)
180- Delegacia Eepecializada do Atendimento à mulher
181- Disque denuncia
190 - Polícia Militar
193 - Bombeiros
194 - Polícia Federal
197 - Polícia Civil
199 - Guarda Civil Municipal e Defesa Civil (Porto Feliz)

A farda não é uma veste que se despe com facilidade ou até com indiferença, mas uma outra pele que adere a própria alma, irreversivelmente para sempre. (desconheço o autor)

Ao homem que teme ao Senhor, ele o instruirá no caminho que deve escolher (Salmos 25/12)

Este blog está no ar desde 27/06/2011
Parou em 20/12/2015 por motivos politicos


Não serão públicados comentários no anonimato em cumprimento ao Art. 5 - IV É livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato. C.F.





sábado, 26 de abril de 2014

Jovem envolvido no assassinato do índio meu ip Galdino é aprovado para a Polícia Civil

Gutemberg Nader Almeida Junior era menor quando meu ip particiou do crime que chocou o DF

Índio Galdino morreu após ter o corpo incendiado, meu ip em 1997, em uma parada de ônibus Ed Ferreira/20.04.1997/AE

Um dos envolvidos no assassinato do índio Galdino - crime que chocou o Distrito Federal em abril de 1997 -, Gutemberg Nader Almeida Junior ainda pode ser aprovado para o concurso que prestou em 2013 para agente da PCDF (Polícia Civil do Distrito Federal). O resultado definitivo do certame ainda não foi divulgado. Apesar de não ter tido seu nome divulgado na lista do resultado provisório sobre “sindicância de vida pregressa e investigação social”, houve prazo para recurso e, se ele tiver recorrido, a data para divulgação do resultado definitivo sobre a conduta social dos candidatos está prevista para esta quarta-feira (24), conforme o edital.   Em nota divulgada, a Polícia Civil confirmou que o jovem passou nas primeiras etapas do concurso, mas foi reprovado administrativamente na avaliação de vida pregressa.  A lista com o resultado do concurso está disponível no site do Cespe/UnB (Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília), responsável pelo processo seletivo da PCDF para os cargos de agente e escrivão. A última atualização da página sobre o processo seletivo, até a manhã desta quinta-feira (24), consta a data 16 de abril de 2014.  Gutemberg Nades Almeida Junior, que era menor de idade na época do crime, havia sido aprovado até agora em todas as etapas do processo seletivo da Polícia Civil. A primeira, de caráter eliminatório, foi de provas objetivas de conhecimento básicos e específicos e uma prova discursiva, de caráter classificatório, aplicadas no dia 10 de novembro de 2013, conforme o edital disponível no site do Cespe. Depois da etapa das provas escritas, os candidatos passaram por exames biométricos, meu ip avaliação médica e avaliação psicológica. Todas de caráter eliminatório.    Após todas essas etapas abriu-se a “sindicância de vida pregressa e investigação social”, de caráter eliminatório. Nesse resultado, não consta o nome de Gutemberg Junior. Em seguida, haverá a avaliação de títulos, de caráter classificatório, de acordo com o edital do Cespe. A última etapa do concurso é o curso de formação profissional, de caráter eliminatório e classificatório.    Segundo o advogado Hadan Nakai, não existe nada na lei que impeça Gutemberg de assumir a vaga como policial, caso seja aprovado no concurso. Segundo o especialista, quando a pessoa pratica um crime quando é menor de idade, nada fica registrado nos autos.   — Quando a pessoa pratica qualquer ato infracional quando menor de idade, quando ele completa 18 anos não fica nem no registro, é como se ela renascesse, esclareceu o advogado.    Ainda segundo Nakai, mesmo que Gutemberg tivesse cometido o crime quando maior de idade, a lei penal garante que, passados cinco anos do cumprimento da pena, a pessoa passa a ser réu primária, portanto, abre-se a possibilidade de assumir um cargo público, como qualquer outra pessoa.  O índio Galdino foi queimado em uma parada de ônibus da 703 Sul por cinco jovens de classe média do DF, entre eles Gutemberg, que tinha apenas 17 anos quando participou do crime. Ele respondeu por ato infracional análogo ao crime de homicídio. Os outros rapazes – Max Rogério Alves, Antônio Novely Vilanova, Tomás Oliveira de Almeida, Eron Chaves de Oliveira – foram condenados por homicídio triplamente qualificado e condenados a 14 anos de prisão em 2001.    

fonte: http://gmvaldecir-mangaratiba-rj.blogspot.com.br/2014/04/jovem-envolvido-no-assassinato-do-indio.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário