AMPARO LEGAL

Amparo legal para este blog: Constituição Federal
Art. 1º. A República Federativa do Brasil, foramada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos:
...
Art. 5º. Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
...
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;
...
VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política...;
...
IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independente de censura ou licença;
Art. 220 - A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo nao sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição.
§ 2º. - é vetada toda e qualquer censura de natureza política ideológica e artística.
Sem espaço no mídia para divulgar os trabalhos realizados pelas Guardas Municipais do Brasil, este blog é mais uma ferramenta aliada para ampliar as ações cotidianas desta força policial que atua na segurança pública municipal.
GUARDA MUNICIPAL, órgão do poder público, legalmente investido no cargo, capacitados e treinados para cumprir as missões que lhes competem, com atribuição policial, fiscaliza, vigia, guarda, com sua presença (fardada) de caráter preventivo promove ações de segurança pública municipal, investido do poder de polícia da administração pública.

GUARDA MUNICIPAL, JUNTOS SOMOS MAIS QUE VENCEDORES!
GUARDA CIDADÃ - DESDE 1985 -PROTEGE, ORIENTA E AUXILIA -
ATENDE PELO TELEFONE (15) 3262.3244, 3262.1118 e 199 (Defesa Civil) 24 HORAS
Endereço para correspondência: Praça Duque de Caxias, 32 Centro - Cep: 18540000
e-mail: guarda.subinspetor@portofeliz.sp.gov.br
MEU CONTATO É: yvetegon@hotmail.com

Telefones de emergência
100- Violação dos Direitos da Criança e do Adolescente (Nacional)
180- Delegacia Eepecializada do Atendimento à mulher
181- Disque denuncia
190 - Polícia Militar
193 - Bombeiros
194 - Polícia Federal
197 - Polícia Civil
199 - Guarda Civil Municipal e Defesa Civil (Porto Feliz)

A farda não é uma veste que se despe com facilidade ou até com indiferença, mas uma outra pele que adere a própria alma, irreversivelmente para sempre. (desconheço o autor)

Ao homem que teme ao Senhor, ele o instruirá no caminho que deve escolher (Salmos 25/12)

Este blog está no ar desde 27/06/2011
Parou em 20/12/2015 por motivos politicos


Não serão públicados comentários no anonimato em cumprimento ao Art. 5 - IV É livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato. C.F.





quarta-feira, 7 de agosto de 2013

JOINVILLE - Corporações apoiam criação de cargos para guarda municipal em Joinville

Polícias Civil, Militar e Corpo de Bombeiros são favoráveis à medida da Prefeitura


No discurso, a intenção do prefeito Udo Döhler (PMDB) de criar de 150 a 200 cargos para guardas municipais é bem-vista pelas outras corporações que atuam em Joinville. Tanto a Polícia Militar, quanto a Polícia Civil e o Corpo de Bombeiros Voluntários enxergam na criação da estrutura um bom reforço para a segurança da população.

A única voz contrária vem da Associação de Praças de Santa Catarina (Aprasc), que acredita que a nova corporação trará mais problemas do que soluções para o município.

A Guarda Municipal de Joinville deve começar a atuar em janeiro do ano que vem. A ideia inicial é de que cerca de 30 agentes trabalhem na segurança patrimonial de bens e serviços públicos e em rondas.

Para o subcomandante Jofrey dos Santos, da Polícia Militar de Joinville, a Guarda Municipal é uma alternativa constitucional válida. Para ele, o efetivo criado pelo município dá mais sensação de segurança aos joinvilenses.

—Todo investimento em segurança é benéfico. Com mais agentes na rua, com certeza haverá inibição de novos crimes—, acredita.

De forma semelhante, o delegado Dirceu Silveira Júnior vê a criação da guarda como um acréscimo a um setor que carece de efetivo.

—Faltam policiais. Se tivermos agentes fazendo um trabalho de vigilância, teremos mais tempo para concentrar as nossa atuação em outras áreas—, comenta.

Polêmica nos bastidores

Mesmo com toda disposição dos policiais civis e militares de aprovarem a guarda, a Aprasc se diz completamente contra a medida. Ela acredita que o caminho deveria ser o contrário, fazendo a unificação das corporações existentes hoje no Estado.

—Isso só trará novos conflitos que deveriam ser evitados. Somos totalmente contrários. A Guarda Municipal só confundirá os trabalhos uns dos outros—, diz.

Se o discurso por enquanto é positivo, no Legislativo joinvilense há vereadores que garantem já ter recebido ligações de policiais reclamando da criação dos cargos.

Segundo Maurício Peixer (PSDB), há setores das polícias Civil e Militar que veem na Guarda Municipal uma corporação que irá conflitar e ocupar o mesmo espaço.

—Recebemos ligações, e nós sabemos que haverá pressão. Queremos fazer uma ampla discussão do projeto quando ele for enviado ao Legislativo—, diz o vereador, que é presidente da Comissão de Legislação e Justiça.

O aumento dos gastos públicos, medida contrária às promessas feitas por Udo Döhler durante a campanha, pode ser outro foco de polêmica. Utilizando como exemplo estruturas semelhantes em Criciúma e Balneário Camboriú, a Guarda Municipal pode chegar a ter um custo de até R$ 50 milhões anuais.


Nenhum comentário:

Postar um comentário