AMPARO LEGAL

Amparo legal para este blog: Constituição Federal
Art. 1º. A República Federativa do Brasil, foramada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos:
...
Art. 5º. Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
...
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;
...
VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política...;
...
IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independente de censura ou licença;
Art. 220 - A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo nao sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição.
§ 2º. - é vetada toda e qualquer censura de natureza política ideológica e artística.
Sem espaço no mídia para divulgar os trabalhos realizados pelas Guardas Municipais do Brasil, este blog é mais uma ferramenta aliada para ampliar as ações cotidianas desta força policial que atua na segurança pública municipal.
GUARDA MUNICIPAL, órgão do poder público, legalmente investido no cargo, capacitados e treinados para cumprir as missões que lhes competem, com atribuição policial, fiscaliza, vigia, guarda, com sua presença (fardada) de caráter preventivo promove ações de segurança pública municipal, investido do poder de polícia da administração pública.

GUARDA MUNICIPAL, JUNTOS SOMOS MAIS QUE VENCEDORES!
GUARDA CIDADÃ - DESDE 1985 -PROTEGE, ORIENTA E AUXILIA -
ATENDE PELO TELEFONE (15) 3262.3244, 3262.1118 e 199 (Defesa Civil) 24 HORAS
Endereço para correspondência: Praça Duque de Caxias, 32 Centro - Cep: 18540000
e-mail: guarda.subinspetor@portofeliz.sp.gov.br
MEU CONTATO É: yvetegon@hotmail.com

Telefones de emergência
100- Violação dos Direitos da Criança e do Adolescente (Nacional)
180- Delegacia Eepecializada do Atendimento à mulher
181- Disque denuncia
190 - Polícia Militar
193 - Bombeiros
194 - Polícia Federal
197 - Polícia Civil
199 - Guarda Civil Municipal e Defesa Civil (Porto Feliz)

A farda não é uma veste que se despe com facilidade ou até com indiferença, mas uma outra pele que adere a própria alma, irreversivelmente para sempre. (desconheço o autor)

Ao homem que teme ao Senhor, ele o instruirá no caminho que deve escolher (Salmos 25/12)

Este blog está no ar desde 27/06/2011
Parou em 20/12/2015 por motivos politicos


Não serão públicados comentários no anonimato em cumprimento ao Art. 5 - IV É livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato. C.F.





segunda-feira, 4 de março de 2013

Guardas Municipais proibidos de participarem do curso de operações de manutenção da paz e policiamento internacional. (SENASP)


CARTA REMETIDA AO VIVA RIO, SENASP e MINISTÉRIO DA JUSTIÇA.


Venho por meio desta saber por quais motivos as Guardas Municipais do Brasil instituição ducentenaria estão proibidas de participarem do curso abaixo descrito visto que para a ONU as policias municipais (Guardas Municipais) são sim órgãos de segurança pública e reconhece esta instituição. 
Hoje a ONU vem cobrando muito um melhor posicionamento do governo brasileiro a respeito de alguns de seus órgãos de segurança pública e sempre apoiou as Guardas Municipais sendo assim por quais motivos não transparentes as policias municipais deste imenso país estão sendo excluidas e relegadas a não participarem do curso OPPI da SENASP/VIVA
RIO.
Será que os Guardas Municipais terão que peticionar aos órgãos judiciarios?
Será que os Guardas Municipais do Brasil terão que informar mas este problema para a ONU e mais uma vez termos os holofotes direcionados para está nação?
Como mais este problema será visto pela ONU?
O mais absurdo é que a própria ONU se refere as Guardas Municipais como "Policia Metropolitana" e aqui no Brasil segregam esta instituição ducentenaria que esta fincada neste chão desde o descobrimento da nação.

40. Operações de Manutenção da Paz e Policiamento Internacional – OPPI

Modalidade: Curso a distância
Carga horária: 60 horas

ApresentaçãoEste curso é fruto de uma parceria entre a SENASP e o VIVA RIO e tem como propósito ampliar a parcela dos profissionais brasileiros (policiais e civis) que detêm conhecimento fundamental sobre operações de manutenção da paz e sobre policiamento internacional, de maneira a refletir no plano interno o que já se exige do Brasil no plano internacional, sobretudo no âmbito das missões da ONU. Com o curso, espera-se gerar maior engajamento de grupos da sociedade brasileira nos debates que envolvam as operações de paz, com destaque às missões para as quais o Brasil envia seus representantes, para que mais policiais sintam-se estimulados e minimamente preparados a se voluntariar para missões internacionais, aumentando a presença do Brasil no plano internacional. 

Público de InteresseO curso se destina aos profissionais da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Civil, Polícia Militar e bombeiros militares.

RequisitosEste curso não exige que tenham sido realizados cursos anteriores na REDE EAD.

Recomendações
Recomenda-se que você tenha disponibilidade de 5 a 7 horas por semana para leitura dos módulos e materiais complementares, pesquisas, realização de exercícios e interação com tutor e demais estudantes.

Conteúdo ProgramáticoMódulo 1 – Operações de manutenção de paz
Módulo 2 - Os temas transversais das operações de paz multidimensionais
Módulo 3 - Policiamento Internacional

Referências BibliográficasAlves, José Augusto Lindgren. “Os direitos humanos como tema global”. Brasília: Fundação Alexandre de Gusmão, 1994.
Da Silva, Jorge (1990). “Controle da Criminalidade e Segurança Pública na Nova Ordem Constitucional”. Editora Forense, 2ª edição.
Fonseca Junior, Gelson. “A Legitimidade e Outras Questões Internacionais: poder e ética entre as nações”. São Paulo: Paz e Terra, 1998.
Fontoura, Paulo Roberto Campos Tarrisse da. “O Brasil e as Operações de Manutenção da Paz das Nações Unidas”. Brasília: Instituto Rio Branco e Fundação Alexandre de Gusmão, 2005.
Kellenberger, Jakob (2008). “Direito Internacional Humanitário, direitos humanos e operações de paz”. Pronunciamento na 31ª mesa redonda sobre temas atuais do Direito Internacional Humanitário, que aconteceu no Instituto Internacional de Direito Humanitário, em San Remo. Comitê Internacional da Cruz Vermelha. Disponível em:http://www.icrc.org/Web/por/sitepor0.nsf/html/peace-operations-statement-040908>
Melo, Raquel Bezerra Cavalcanti Leal (2006). “Construindo as operações de paz multidimensionais das Nações Unidas”. Tensões Mundiais, Fortaleza, v. 2, n. 1, jan./jul. 2006. Disponível em:http://www.tensoesmundiais.ufc.br/artigos/Revista%20No%202/Artigo-%20Raquel%20%20Bezerra.pdf>
Trojanowicz, R & Bucqueroux, B (1994). “Policiamento Comunitário - Como Começar”. Rio de Janeiro : Polícia Militar d Esado do Rio de Janeiro



Conclui o curso pela ONU e escrevi a carta para os órgão brasileiros cobrando respostas e após oito meses de espera ainda não me responderam, porém, entretanto, todavia, contudo " QUE NUNCA POR VENCIDOS NOS CONHEÇAM."
Postado pelo Subinspetor S.Santos - GMRIO
fonte: http://gmvaldecir-mangaratiba-rj.blogspot.com.br/2013/03/guardas-municipais-proibidos-de.html


Nenhum comentário:

Postar um comentário