AMPARO LEGAL

Amparo legal para este blog: Constituição Federal
Art. 1º. A República Federativa do Brasil, foramada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos:
...
Art. 5º. Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
...
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;
...
VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política...;
...
IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independente de censura ou licença;
Art. 220 - A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo nao sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição.
§ 2º. - é vetada toda e qualquer censura de natureza política ideológica e artística.
Sem espaço no mídia para divulgar os trabalhos realizados pelas Guardas Municipais do Brasil, este blog é mais uma ferramenta aliada para ampliar as ações cotidianas desta força policial que atua na segurança pública municipal.
GUARDA MUNICIPAL, órgão do poder público, legalmente investido no cargo, capacitados e treinados para cumprir as missões que lhes competem, com atribuição policial, fiscaliza, vigia, guarda, com sua presença (fardada) de caráter preventivo promove ações de segurança pública municipal, investido do poder de polícia da administração pública.

GUARDA MUNICIPAL, JUNTOS SOMOS MAIS QUE VENCEDORES!
GUARDA CIDADÃ - DESDE 1985 -PROTEGE, ORIENTA E AUXILIA -
ATENDE PELO TELEFONE (15) 3262.3244, 3262.1118 e 199 (Defesa Civil) 24 HORAS
Endereço para correspondência: Praça Duque de Caxias, 32 Centro - Cep: 18540000
e-mail: guarda.subinspetor@portofeliz.sp.gov.br
MEU CONTATO É: yvetegon@hotmail.com

Telefones de emergência
100- Violação dos Direitos da Criança e do Adolescente (Nacional)
180- Delegacia Eepecializada do Atendimento à mulher
181- Disque denuncia
190 - Polícia Militar
193 - Bombeiros
194 - Polícia Federal
197 - Polícia Civil
199 - Guarda Civil Municipal e Defesa Civil (Porto Feliz)

A farda não é uma veste que se despe com facilidade ou até com indiferença, mas uma outra pele que adere a própria alma, irreversivelmente para sempre. (desconheço o autor)

Ao homem que teme ao Senhor, ele o instruirá no caminho que deve escolher (Salmos 25/12)

Este blog está no ar desde 27/06/2011
Parou em 20/12/2015 por motivos politicos


Não serão públicados comentários no anonimato em cumprimento ao Art. 5 - IV É livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato. C.F.





terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Gravações mostram como quadrilha planejava a morte de policiais


Gravações autorizadas pela Justiça mostram como uma quadrilha tramava e executava policiais em São Paulo. Uma das gravações envolve Leandro Rafael Pereira da Silva, conhecido como “Léo Gordo”, como mostrou o Jornal da Globodesta sexta-feira (30). A polícia diz que ele saiu da cadeia no dia 12 de julho deste ano com a missão de matar dez policiais militares.
As investigações mostram que uma das vítimas foi o soldado Flávio Adriano do Carmo, assassinado com dois tiros em frente a uma padaria na Zona Sul da capital, no dia 13 do outubro.
Preso há 15 dias, Léo Gordo confessou o crime.
Polícia: “Vocês fizeram dois?”
Léo Gordo: “Foi um”.
Polícia: “Qual esse um que você fez?”
Léo Gordo: “Só foi o da região do Campo Limpo”.
Polícia: “Qual deles?”
Léo Gordo: “Da padaria lá do São Luís”.
Escutas telefônicas revelam como o crime foi planejado. Numa gravação, Léo Gordo telefona para um comparsa. De acordo com a polícia, ele diz que foi até a padaria onde estava a vítima, mas que tem dúvidas se o homem que está lá dentro é mesmo o policial militar marcado para morrer.
Léo Gordo: “E aí, criança… O bico tá aqui, mas nós não sabe se é ele… Tem que ver um cara conhecido porque ele parece…”
Comparsa: “Eu vou ligar pro ‘Japa’ pra ver”.
Meia hora depois, outro comparsa liga para dizer que o grupo saiu do local porque há policiamento na região.
Comparsa: “Nóis tava tudo lá agora. Voltamo sabe por que? Tá tendo um comando… os cara tá enquadrando quem desce e quem sobe lá, tio…”
Em outra conversa, mais uma vez eles pedem ajuda para identificar a vítima.
Comparsa: “Fala pra encostar e mostrar pra nóis. Tá suave. Nóis tá na bala. Nóis tá tudo por perto… “
Neste trecho, um comparsa fala de um carro usado pelos bandidos.
Comparsa: “Tô aqui no morro (…), mas o carro só tá adulterado a placa. Não tá trocada não”.
Perto das 18h, Léo Gordo liga dizendo que todos estão preparados para atacar.
Léo Gordo: “Tá todo mundo aqui… Chegou dois carros… Um tá com a placa trocada e o outro…”
A polícia diz que Léo Gordo liga para perguntar se outro comparsa está chegando porque ele precisa pegar as armas para concluir o ataque ao policial.
Léo Gordo: “Nóis vai pegar a grandona (metralhadora) e uma pista (pistola)… e aí vai pegar as outras (armas) que tiver lá e descer e concluir”.
Segundo a polícia, um dos comparsas desistiu de participar. Léo Gordo liga para avisar que vai atacar mesmo assim.
Comparsa: “Ele foi com quem?”
Léo Gordo: “Não sei com quem ele foi. Veio de moto, sei lá. Deu um perdido em nóis, tio. Mas nóis vai na bala, irmão”.
Comparsa: “É isso”.
Depois do crime, Léo Gordo liga para um homem não identificado e confirma que o policial militar foi assassinado.
Léo Gordo: “Já era… tudo tranquilo. Falou”.
Comparsa: “Até mais, então”.
Nem todos os homens que aparecem nas conversas telefônicas estão presos.
A polícia identificou alguns e continua a investigar as mortes para prender outros criminosos que participaram de execuções a policiais em São Paulo.
fonte: http://amigosdaguardacivil.blogspot.com.br/2012/12/gravacoes-mostram-como-quadrilha.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed:+AmigosDaGuardaCivil+(AMIGOS+DA+GUARDA+CIVIL)

Nenhum comentário:

Postar um comentário